Ensino Fundamental II

Temos uma identidade, um jeito de ser afetuoso, em consonância com a faixa etária atendida. Atuamos com alunos do Ensino Fundamental I e II e, como crianças/ adolescentes têm o direito de exercitar o seu lado lúdico e imaginativo, ferramenta necessária para a formação de uma personalidade adulta segura e equilibrada.

Possibilitar que a criança se expresse é também fazê-la pensar, sentir e fazer. Esse trabalho é indispensável porque integra a atividade intelectual e as relações afetivas da criança, organizando suas experiências de vida. Lendo e escrevendo vai conquistando o saber ler e o saber escrever, inicialmente através das suas próprias hipóteses.

Além da leitura e escrita, entendemos que todas as linguagens exigem o mesmo cuidado: estímulo à espontaneidade, percepção dos elementos e da inter-relação entre eles, além de estimular a capacidade de decisão e empenho, pois orientamos os alunos no sentido de desenvolver uma disciplina de estudo e responsabilidade com suas tarefas.

Trabalhamos com projetos de trabalho interdisciplinares desenvolvidos pela coordenação pedagógica em consonância com os PCNs, Parâmetros Curriculares Nacionais, editados pelo MEC. Investimos também em projetos de literatura integrados, que estimulam as crianças com muitas atividades, experiências, músicas, filmes e pesquisas; além de torneios periódicos para instigar o gosto pelo estudo e dar complemento aos conteúdos propostos em sala de aula.
Priorizamos a qualidade e não a quantidade de atividades, possibilitando a criação do professor na ampliação do conteúdo. Ele não é um fim em si mesmo, as atividades favorecem novas formações de conceitos.
O Ensino Fundamental II da Escola Integração atende crianças e adolescentes entre 11 a 14 anos de idade. É nesta etapa da vida escolar que ocorre a passagem da infância para a adolescência, portanto, é uma fase que se apresenta com muitas singularidades, acentuadas pela puberdade, período em que ocorrem mudanças biológicas e fisiológicas postulando maior atenção a cada educando como pessoa. A identificação com grupos sociais, através de contatos mais frequentes e significativos com colegas de classe, se manifesta de forma mais intensa, daí a importância do acompanhamento do adulto, pais e educadores, na transmissão de valores e estabelecimento de comportamentos aceitáveis, pois é nesta fase que vão se conformando aspectos da individualidade e personalidade do educando.

O desenvolvimento cognitivo se dará, levando em conta uma maior percepção das próprias habilidades, o que os tornará mais críticos e, aos poucos, mais rigorosos consigo mesmos e com os outros. Educar, neste momento, é propor desafios e estabelecer relações que valorizem as próprias capacidades, fortaleçam a auto estima e estimulem o gosto pelo conhecimento, para qual precisam ser encantados.

Espera-se que intensifiquem a busca por autonomia, aprimorem os hábitos de estudos iniciados no Ensino Fundamental I e enriqueçam os conteúdos com as experiências em espaços diferenciados. A expansão física é uma necessidade evidenciada desta idade, daí o incentivo à prática esportiva, às aulas vivenciais, saídas pedagógicas, como mecanismos para canalizar as energias e potencialidades que despontam em grande profusão.